sábado, 30 de março de 2013

Análise de Anime [7] - Oretachi ni Tsubasa wa Nai

Anime baseado em visual novel da Navel e character design da Aoi Nishimata: SEU ARGUMENTO É INVÁLIDO! (ou deveria ser)
Navel. Este é o nome da empresa que fez o jogo que mais marcou a minha vida pra época que eu joguei, além de fazer eu me interessar (pra caramba) em visual novels e, se duvidar, se não fosse por ele talvez nem este blog e nem as nossas traduções estariam aqui hoje. O jogo que me refiro é Shuffle!, mas há ainda um sucessor espiritual (como diria o Lighty) para este jogo, chamado de Oretachi ni Tsubasa wa Nai (algo como "Nós não temos Asas", mas a tradução "oficial" em inglês é "Under the Innocent Sky"), lançado originalmente em 2009 como visual novel e que ganhou anime em 2011 pelo estúdio Nomad, mesmo estúdio de Ouran Host Club.

Mas tem o seguinte lance: a visual novel original da série é gigantesca (há quem diga que ULTRAPASSA Fate/Stay Night, ainda mais na versão expandida do jogo) e ainda contém fandiscs contando os acontecimentos antes e depois do jogo original, e o anime só tem 12 episódios... será que a adaptação foi boa mesmo (lembre-se que a visual novel do jogo é considerada uma das melhores de uns tempos para cá)? Ou será que esbarraram legal na adaptação e criaram uma monstruosidade?

Bom... *estrala os dedos*... isso você vai descobrir logo, logo...

História
Claro que teria uma referência escondida de Sekai Seifuku Kanojo, a visual novel que sucedeu Oretsuba, da Navel no próprio anime... e... aquela ali é a Primula???
<--- música para ouvir enquanto lê a análise ^^

Contar a história sem dar spoilers é impossível, mas tentarei manter no mínimo possível.

A série se passa numa cidade fictícia chamada Yanagihara, e o rumo da história se divide em três protagonistas: Haneda Takashi, um estudante de colegial que misteriosamente é namorado de Watarai Asuka, a tsundere que namora com ele aparentemente sem motivo, Chitose Shuusuke, um trabalhador sempre bem disposto e enérgico do café Alexander e que faz um bico para uma editora escrevendo análises de livros, e Narita Hayato, um quietão e valentão que anda por aí de noite em busca de alguns trabalhos temporários e que tem seus amigos da vida noturna.

A história de Haneda é misteriosa e conta a história de um mero estudante colegial, que de quebra é representante de classe, mas que, estranhamente, de tempos em tempos, se separa do mundo real para um reino fantasioso chamado Gureta Garudo, onde ele é o cavaleiro mais forte do reino e que deve salvar a princessa Asuka (ou mesmo participar das batalhas com ela) sempre que necessário. A parte de Chuusuke mostra a vida enérgica de trabalhador junto ao engraçado dono do bar Alexander e suas garçonetes, mas que mais tarde se junta com Tamaizumi Hiyoko, uma escritora cujo livro mais recente é a próxima análise do colunista e que acaba por trabalhar como garçonete no bar também. A história de Narita, com um bom toque de ação e cenas inesperadas, mostra a jornada dele ao ter que encontrar a bicicleta de Ootori Naru, irmã de Ootori Kakeru, líder de uma das gangues mais barra-pesadas da região leste da cidade, a Yanagihara Flame Birds, arqui-inimiga da R-Wing, e com isso acaba por se envolver em muitas coisas que ele não deveria.


A série ainda conta com, no mínimo, duas sub-heroínas para cada protagonista, além de uma renca de personagens secundários (eu particularmente perdi a conta, ainda mais que no último episódio têm mais personagens ainda) e a última heroína, Haneda Kobato, cuja "rota" consegue interligar todos os personagens de uma forma inesperada e bem marcante. Como disse, o anime tem 12 episódios, mas que poderiam ser facilmente reduzidos em 8 ou até menos, deixando passar muita coisa e deixar muitas outras corridas ao extremo... o motivo? Continue lendo e você entenderá.

Animação e Trilha Sonora
Todas as personagens têm jeitões que agradarão o telespectador. Tamaizumi e Naru são minhas favoritas xD

A animação é boa, mas se comparada com os visuais de outros animes de 2011 ou 2010, diria que está abaixo da média. Muitas cenas e episódios têm várias desproporções nas personagens e o lip-sync deles poderiam ser melhorados facilmente. Os movimentos dos personagens são realistas até certo ponto, mas em vários casos aparecem aquelas cenas em que a física é jogada fora e há vários peitos balançando e realces nas saliências das roupas íntimas das personagens, tudo para o bem da ênfase ao fanservice.

Apesar disso e de vários toques que tentam imitar animações da Shaft (Madoka Magica, Denpa Onna to Seishun Otoko, Bakemonogatari, ef ~ A Tale of Memories/Melodies~), tudo contribui para o humor escancarado da série (que também tem várias cenas como aquelas no jogo), tanto nas cenas 100% fan-service até cenas em que você espera um desenrolar sério, mas no final ela acaba de maneira bem engraçada.

Quanto à trilha sonora, ela puxa várias faixas de Acchorike, que pra quem não sabe, é o produtor original de uma caralhada de músicas dos títulos da Navel, inclusive nos mais recentes dela. Praticamente todas elas foram tiradas da visual novel e todas elas dão o ritmo certo para a cena que está ocorrendo. A qualidade é muito bacana de se ouvir no seu celular ou nos seus momentos de descanso. As músicas de abertura e encerramentos do anime também são bem viciantes, fazendo valer a pena ver cada episódio do começo ao fim só por causa delas.

... mas isso quer dizer que os episódios são um lixo e só a música é boa?... em alguns casos, até digo que sim, mas vamos por partes antes de concluir com a análise.

Opinião, Pontos Fortes e Fracos
Por melhor (ou pior) que seja a comédia do anime, a história se desenrola devagar, dando pistas bem breves em alguns momentos, até revelar tudo nos 2 últimos episódios de uma maneira bem...

Eu esperava que o anime me surpreenderia, por ser baseado na empresa que eu tanto adoro e com uma história tão complexa, com tantos personagens e devido ao tamanho das rotas do jogo. Felizmente, o anime conseguiu me surpreender. Infelizmente, não foi o tipo de surpresa que eu esperava.

Pra começo de conversa, muita gente (e eu me incluo nessa) achou o primeiro episódio da série HORRÍVEL. Ao mesmo tempo que ele tenta introduzir os protagonistas (e, até o quarto episódio, as heroínas principais), ele faz isso da pior maneira possível, usando e abusando de piadas e cenas entupidas de sexual innuendos, implícitos e explícitos (sério, tem uma cena de "sexo" no episódio 8), praticamente tornando o anime em uma comédia bem apelativa, mas que ainda assim funciona e muito bem.

Claro, mas não podemos nos esquecer da história... qual história? Nesse meio de fanservice e piadas apelativas na série, ele te dá várias pistas sobre o relacionamento dos protagonistas (similar, digamos, à Chaos;Head e a ligação do Nishijou com os Gigalomaniax). Até o episódio 3, as pistas são bem escassas e que pode até lhe dar uma impressão falsa do que pode ser tal relação, mas do final do 4º episódio em diante, o assunto começa a se expandir e quase que fica sem sentido algum, mas nos seus últimos episódios, consegue ligar os pontos de uma maneira espetacular, daquele jeito em que toca o coração das pessoas e fazem as peças se juntarem brilhantemente (isso se você entender a história, pois pode ser que àqueles que viram correndo percam algumas minúscias e não entenda o último episódio que, à primeira vista, não faz sentido).

Beleza, então temos bastante comédia, boa música, e prestando bastante atenção na história o anime revela ter uma história capetal... tá, e quais são os pontos negativos da série, então?... bom... quase todo o resto... infelizmente...

"Como assim, todo o resto?"
Primeiramente, os primeiros episódios do anime não te dão qualquer incentivo para assistir a série por parecer mais um anime de comédia do que um anime com história bonitinha e tudo mais. No máximo, você aguentará pelas partes de ação da história do Narita e a partir do finalzinho do episódio 4, onde a ligação dos protagonistas começam a fazer sentido e dar início a muitas teorias, mas ainda assim, nos episódios posteriores, ainda têm várias cenas de nonsense e comédia (que algumas vezes falham em serem engraçadas) e parece que a história fica meio de lado até o finalzinho mesmo do anime.


Segundo, vêm as rotas das personagens. Elas são ridiculamente mal-interpretadas, e tirando a parte da Kobato, falham em transmitir fortes sentimentos. Mesmo você gostando da personagem e falar "Caraca, essa história vai ficar boa!"... ela não fica tão boa. É como se a rota da personagem começasse, chegasse no seu clímax, mas na hora do desfecho o estúdio viu que os episódios tavam acabando e colocaram finais decepcionantes, com vários nós sem pontas, dando a impressão que as heroínas estão lá só de enfeite e que a trama principal é o mistério entre os protagonistas... o que não deixa de ser verdade, mas no jogo tem bem mais coisa que isso.

Terceiro, o TANTO DE PERSONAGENS! Puta que o pariu, é tanto personagem bacana que não se desenvolve... chega a ser deprimente. Tá certo que com 12 episódios você só pode dar foco em alguns personagens, mas podiam ter se esforçado em, já que é esse o caso, dar foco nas heroínas, pô! Eu tive que assistir o anime duas vezes (sim, eu repeti um anime, olha o ponto que cheguei!) pra me lembrar dos nomes de cada um, e ainda por cima, pra nada, já que eles não fazem quase nada no anime, tirando participarem das cenas engraçadas.

Quarto e mais importante, o tanto de coisas que deixaram sem explicar. Como diabos Gureta Garudo surgiu, e, se ele era mesmo um sonho, como que os outros personagens sabiam da existência dele? Como que a Asuka virou namorada do Haneda? A Hiyoko teve sucesso na publicação da sua outra obra ou não? Por que exatamente a Naru se separou da sua mãe? O que estava escrito no Pocket Bell dela? Pra que serviu o dinheiro que Shuusuke e Narita arranjaram? Como diabos o Youji tinha várias aparências dependendo de quem olhava para ele? Tem alguma ligação disso com Gureta Garudo ou não? Por que Karura foi aprisionado no Abismo e os outros não?

Chega a ser frustrante o número de perguntas sem respostas na série, que podiam facilmente ser respondidas se o anime deixasse um pouco de lado as cenas humorísticas (não largar mão delas, mas simplesmente tirar algumas), pois são elas que fazem um anime que terminou tão bem se sentir superficial quando se olha para trás. Com certeza absoluta, se a pessoa dá 8 ou mais pra esse anime, é porque ela se esqueceu de quase tudo dos primeiros episódios e só se lembrou dos dois últimos, que são memoráveis mesmo, mas que ainda têm seus defeitos e que poderia ser melhor ainda facilmente.

Conclusão e Nota Final
Pelo menos, o anime tem muito pouco a esconder quanto à sangue, partes femininas e piadas apelativas... especialmente depois dessa cena...

Dá um nó no coração de dizer isso, mas me senti desapontado com o anime. Calma, desapontado não é sinônimo de ruim. Desapontado quer dizer que não respondeu às minhas expectativas. Se eu não fosse fã da Navel, provavelmente não assistiria o anime, e talvez  nunca procuraria uma análise da série devido à primeira impressão que o anime dá, e mesmo assistindo e vendo a história fazer sentido, muitas coisas ainda não são explicadas, dando a impressão que o anime foi feito por quem não planejou o storyboard direito, já que assunto a série tem de sobra.

Adaptações de visual novels cortam (muitas) coisas da obra original, de fato, mas eu esperava que um roteiro como o de Oretsuba, mesmo mal adaptado, faria muita gente se lembrar carinhosamente dele. Se você se lembra apenas dos últimos episódios dos animes que você viu, talvez aconteça isso com você, mas se você pôr na balança todos os demais episódios, garanto que não vai achar que valeu tanto a pena assim... ouviram, pessoas que dão 9~10 para Angel Beats sem nem terem lido a light novel ou o mangá?

Nota Final: 6,5/10

É um anime "bonzinho", apesar de ter potencial para ser fodelão. Não espere um anime com personagens yandere que ficam doidas pelo personagem principal, ou um nakigê estilão Clannad, ou uma história que têm tudo pra dar errado e no final dá certo. Oretsuba é um anime que fará você  sorrir e gostar de pelo menos uma das personagens, heroínas ou não, e se tiver um pouco de paciência, o anime te recompensa com seu final e com aquele gostinho que vai ficar no seu coração de "quero mais", de querer jogar a visual novel original e se aprofundar ainda mais no universo para responder suas perguntas mais pertinentes. Infelizmente, se você não tiver tanta paciência assim ou achar que não vale a pena aturar tanta coisa do anime apenas pelo seu final, então não tem jeito, melhor passar reto neste anime antes que você venha me xingar por não ter avisado dos defeitos dele.

"Tsubasa nante nakutatte... kaete kite yo..."

Bom, a análise termina aqui. Até a próxima, e... bem, só digo para esperarem ouvir esse nome mais vezes...
Out.

Um comentário:

  1. Gostaria que você deixasse o link para download de qualquer um desses jogos que etão sendo comentados aqui nesse blog para que o leitor possa tirar suas próprias conclusões!

    ResponderExcluir